Entenda o papel da tecnologia e seu impacto no transporte de cargas!

Nos últimos anos, a tecnologia vem se tornando uma grande aliada das empresas contemporâneas e quando se fala em logística, esse é um ponto que merece ainda mais destaque. Como a busca intensa por qualidade e eficiência dos processos logísticos está sempre presente, o uso de tecnologia é primordial na área.

O impacto positivo proporcionado pelos recursos tecnológicos dentro da rotina das empresas de transporte, é algo que se tornou inegável e até mesmo quem não participa avidamente das empresas, consegue notar. Afinal, o apoio tecnológico tem sido determinante para melhorar a eficiência dos deslocamentos, tornando as operações menos onerosas e mais ágeis.

A tecnologia é um fator que demonstra a preocupação das transportadoras em desenvolver suas atividades de maneira mais alinhada às novas demandas de um mercado altamente competitivo; ou seja, as empresas de transporte mais antenadas e preocupadas em modernizar a aperfeiçoar os processos logísticos de entregas de cargas devem ter a tecnologia como aliada.

Portanto, antes de contratar uma empresa do ramo, procure avaliar o nível de investimentos em tecnologia feito por ela.

A otimização desses processos, em grande parte, se deve à utilização de soluções fornecidas pela tecnologia da informação (TI) e pela tecnologia da comunicação (TC) — como por exemplo os sistemas de gerenciamento de transporte (TMS), sistemas de roteirização, rastreamento e monitoramento, e os sistemas de gerenciamento de armazéns (WMS).

De acordo com a Justiça, jornada excessiva de motorista de caminhão não caracteriza dano moral.

A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho excluiu da condenação imposta à uma transportadora o pagamento de indenização por dano moral decorrente de jornada excessiva imposta a um motorista de caminhão. Segundo a Turma, não houve demonstração do fato nem da efetiva ofensa aos direitos da personalidade do empregado.

Ao condenar a empresa, o Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (SC) registrou que, durante a semana, o empregado permanecia integralmente à disposição da empresa e prestava horas extras de forma habitual e exagerada. Também não havia repousos intra e interjornadas e descansos semanais.

Necessidade de comprovação

No recurso de revista, a empresa sustentou que a eventual jornada excessiva, por si só, não implica ilicitude que justifique o pagamento de indenização por dano moral, especialmente quando não houver comprovação de prejuízo, como no caso.

Para relatora, ministra Dora Maria da Costa, embora constitua grave violação de direitos trabalhistas, a imposição de jornada excessiva não implica o reconhecimento automático da ofensa moral e, consequentemente, o dever de indenizar. Para tanto, é necessária a comprovação da repercussão do fato e a efetiva ofensa aos direitos da personalidade, que não pode, no caso, ser presumida.

Ressaltando que não foi evidenciada nenhuma repercussão ou abalo de ordem moral decorrente da jornada excessiva, a relatora afirmou que não há o dever de a empresa indenizar o empregado. Assim, excluiu da condenação o pagamento de indenização por dano moral.

 

Fonte: Blog dos Caminhoneiros. – https://blogdocaminhoneiro.com/2019/02/para-a-justica-jornada-excessiva-de-motorista-de-caminhao-nao-caracteriza-dano-moral/

 

A importância do monitoramento e rastreamento para a sua frota

Todas as etapas de moldam o sistema de gestão de uma empresa são importantes para que a organização funcione de maneira harmoniosa e eficaz. E um de seus braços de ação é possuir um excelente e capacitado sistema de monitoramento e rastreamento.

O aspecto do monitoramento é importante porque auxilia e fornece a assertividade ao comprometimento do planejamento de rotas, principalmente se essa diretriz está sendo cumprida pelo motorista. Estar incluso e informado sobre todo o processo facilita o rastreamento de cargas permitindo que as transportadoras consigam fornecer informações em tempo real aos seus clientes a respeito dos seus pedidos. É claro que com isso é possível identificar qualquer anomalia ou ocorrência que possam prejudicar a entrega e os prazos estipulados. Além de aumentar consideravelmente a segurança contra furtos e sequestros nas estradas. E ainda que caso aconteça tal imprevisto, o rastreamento pode auxiliar as autoridades nas investigações aumentando as chances de recuperação da carga extraviada.

Os métodos utilizados para fazer o rastreamento e o monitoramento são vários. Os principais são o uso do GPS, GPRS e Câmeras. Na Logos Inovação e Tecnologia se utilizam também o RFID, Comunicação via satélite e o próprio sistema da empresa chamada de LOGOSNET. Cada uma delas trabalha e contribui ao objetivo de atingir as necessidades de cada cliente. Melhorando a gestão administrativa e aprimorando e automatizando os processos de trabalho. Auxiliando também nas melhores tomadas de decisões, à medida com que os dados são convertidos em informações de fácil entendimento e compreensão.

Então, se ainda estiver com alguma dúvida, conheças mais sobre os serviços da Logos Inovação e Tecnologia e encontre a solução perfeita para o seu negócio.

 

Uber entra no mercado de aluguel de bicicletas elétricas da Europa

Primeiro país a receber o serviço, que já funciona nos EUA, será a Alemanha.

A Uber, empresa de transporte alternativo, está prestes a lançar o JUMP, seu serviço de aluguel de bicicletas elétricas, na Alemanha. A ideia é diversificar sua atuação e construir laços com as autoridades locais, já que a empresa foi não teve vida fácil em muitas cidades europeias e até chegou a ser banida.

O anúncio foi feito pelo presidente-executivo da Uber, Dara Khosrowshahi, em uma conferência em Berlim. Do lado de fora do auditório, dezenas de taxistas alemães acenavam com cartazes que possuíam os dizeres: “Uber vá para casa”.

“A Alemanha é um pequeno sinal do que a nova Uber pode ser. Queremos trabalhar com governos locais e cidades para fazer nosso modelo funcionar.”

A Uber enfrentou situação difícil na Europa, onde taxistas promoveram violentos protestos no passado e onde restrições judiciais obrigaram a empresa a encerrar alguns de seus serviços, inclusive na Alemanha, França, Itália, Espanha e Bélgica.

Além disso, Uber e outras empresas baseadas em aplicativos foram acusadas de causar congestionamento em grandes cidades como Londres.

Para mudar esse ciclo e se tornar um aplicativo capaz de agendar viagens por qualquer meio de transporte, seja ônibus, bicicletas, carros e trens, a Uber comprou a startup JUMP.

O serviço de compartilhamento de bicicleta elétrica sem estações fixas já foi lançado em San Francisco, onde há 250 bicicletas, e Washington.

Bicicleta elétrica da JUMP, startup comprada pela Uber. (Foto: Divulgação/JUMP)Bicicleta elétrica da JUMP, startup comprada pela Uber. (Foto: Divulgação/JUMP)

@g1.globo

Entenda a relação entre a velocidade e o consumo do seu veículo

Reduzir o tempo de viagem pode aumentar o gasto com combustível em mais de 100%

Em um teste realizado pela revista Quatro Rodas neste mês, uma simulação entre os carros Fox, Grand Siena, Fusion e Azera mostrou como o desempenho e o consumo de combustível pode aumentar em até 103% dependendo da velocidade que o seu veículo atinge.

Para realizar o teste, foi feita uma simulação de uma viagem de 200 km mediante análise do consumo médio em três velocidades constantes (80, 100 e 120 km/h). Os resultados foram aplicados em tabelas cujo indicativos podem te auxiliar caso você queira repetir o teste com o seu carro e analisar o ritmo de suas próximas viagens.

Antes do início dos testes, os carros foram foram abastecidos no mesmo posto com etanol para os de versão flex, o Fox e o Grand Siena, e apenas gasolina para o Azera e o Fusion. Após o abastecimento, os pneus foram calibrados de acordo com a pressão recomendada pela fábrica de cada veículo.

O teste foi feito no seguinte padrão: ar-condicionado e demais equipamentos desligados, vidros fechados e apenas o motorista a bordo.

Os números abaixo referem-se à média de duas passagens em cada velocidade, ou seja, duas trocas de marcha. Para percorrer os 200 km, o tempo gasto é o mesmo para todos os carros: 2h30 minutos a 80 km/h; 2 horas a 100 km/h; e 1h40 minutos a 120 km/h.

Nas tabelas, foram considerados o preço médio da gasolina (R$ 3,40) e do etanol (R$ 2,25) em São Paulo, capital, durante o mês de agosto de 2016.

No teste com o Fusion 2.0, o consumo foi o que deu a maior diferença no bolso: a 80 km/h, foram consumidos cerca de 8,26 litros de gasolina, o equivalente a R$ 31, 48. Aumentando a velocidade para 120 km/h, o consumo sobe para R$ 67,34. É um gasto adicional de R$ 35,84, mas traz uma vantagem de 50 minutos a menos no tempo gasto em uma viagem de 200 km.

Então, outra vantagem em manter uma velocidade mais baixa é, que, além de economizar, aliviar a pressão sobre o acelerador também pode proporcionar mais autonomia ao motorista.

Se a sua viagem for mais longa que a viagem simulada no teste, considerando uma velocidade de 120 km/h e uma parada para encher o tanque (algo que raramente irá consumir menos que 15 minutos), é mais vantajoso reduzir a velocidade para 100 km/h, aumentando o tempo de viagem em 10 minutos a cada 100 km, mas passando direto pelo posto.

Já no teste realizado no Grand Siena, o tanque, que possui 48 litros de capacidade, pode garantir a autonomia de 422 km a 120 km/h, porém, subindo para 619 km a 100 km/h.

No Fox 1.0, uma diferença de apenas 20 km/h na velocidade (de 100 km/h para 120 km/h) aumenta o consumo de combustível em 50%.

Fox 1.0 três cilindros – 200 km – etanol

Grand Siena 1.6 – 200 km – etanol

Fusion 2.0 turbo – 200 km – gasolina

 

Fonte: https://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/o-teste-da-relacao-entre-velocidade-e-consumo/