Tecnologia vs. Privacidade: Ministério da Justiça divulga ferramentas de monitoramento

Após o Ministério da Justiça divulgar “ferramentas de Big Data para combater a criminalidade”, se iniciou debate sobre modernização e privacidade.

O sistema apresentado recebe e cruza dados de cidades de todo o país para identificar possíveis atitudes suspeitas e orientar as ações de policiamento das corporações dos governos estaduais. As informações são produzidas através de um monitoramento com diversos dispositivos, como câmeras espalhadas em milhares de cidades, viaturas e até mesmo de tornozeleiras eletrônicas de condenados privados de liberdade.

A iniciativa é um dos exemplos mais proeminentes do que vem sendo chamado de cidades inteligentes e para o emprego dessas tecnologias, é preciso ter um ecossistema de máquinas conectadas – coletando dados e se comunicando entre si – naquilo que ganhou o nome de “Internet das Coisas”. Esse novo conjunto de soluções técnicas vem crescendo e recebendo atenção inclusive de autoridades, com aplicações em diversas áreas, do campo aos centros urbanos.

O sistema é um exemplo da adoção deste tipo de tecnologia voltada à segurança pública, por meio dele, os policiais poderão mapear ocorrências de criminalidade por área, dia e horário, até mesmo acompanhar em tempo real vias e espaços públicos através de câmeras e buscar informações sobre indivíduos, ou veículos, recorrendo a bancos de dados de diferentes locais.

O programa foi inspirado em um projeto da Secretaria de Segurança Pública do governo do Ceará, que utilizará câmeras espalhadas no estado para dar suporte ao policiamento. Mas em outros locais, iniciativas de monitoramento se multiplicam, por exemplo no Rio de Janeiro, a tecnologia de reconhecimento facial foi instalada no início do ano em caráter de teste no carnaval e depois em outros pontos da cidade.

“A partir do histórico de dados poderemos identificar padrões de ocorrências criminosas. O crime, ele ocorre em padrões e você identificando o padrão torna mais eficiente a repressão. Ao final dos 4 anos, pretendemos atingir o estado da arte que é chegar e a partir destes dados e utilização de algoritmos mais elaborados possa realizar predição, recomendação e prescrição de ações”, explicou o diretor de Gestão e Integração de Informações da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), Wellington Porcino, em apresentação da iniciativa em evento sobre tecnologia e segurança.

Na avaliação do pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará (UFC), Ricardo Moura, o projeto tem sido eficiente para combater crimes baseados em mobilidade, como furto de veículos, mas ainda traz questões no tocante à gestão dos dados dos cidadãos coletados.

“Ainda não observamos movimento sobre o debate acerca da questão da privacidade e de uso de dados pessoais. A gente precisa trazer essa discussão porque na verdade você tem esquadrinhamento da população e precisa saber como e por quem isso vai ser gerido, tratado, armazenado e acessado. Não deixa de ser uma mina de ouro produzida e sabemos que muitas empresas se baseiam em informação”, comenta.

Na Bahia, o governo estadual já implantou o reconhecimento facial e divulgou que até agosto mais de 50 pessoas haviam sido presas com o auxílio da ferramenta. “O aviso emitido pelo sistema e o acionamento rápido e eficaz das forças policiais têm garantido ótimos resultados e retirado criminosos do convívio com a sociedade”, elogia o secretário de segurança pública do estado, Maurício Teles Barbosa.

A importância do monitoramento e rastreamento para a sua frota

Todas as etapas de moldam o sistema de gestão de uma empresa são importantes para que a organização funcione de maneira harmoniosa e eficaz. E um de seus braços de ação é possuir um excelente e capacitado sistema de monitoramento e rastreamento.

O aspecto do monitoramento é importante porque auxilia e fornece a assertividade ao comprometimento do planejamento de rotas, principalmente se essa diretriz está sendo cumprida pelo motorista. Estar incluso e informado sobre todo o processo facilita o rastreamento de cargas permitindo que as transportadoras consigam fornecer informações em tempo real aos seus clientes a respeito dos seus pedidos. É claro que com isso é possível identificar qualquer anomalia ou ocorrência que possam prejudicar a entrega e os prazos estipulados. Além de aumentar consideravelmente a segurança contra furtos e sequestros nas estradas. E ainda que caso aconteça tal imprevisto, o rastreamento pode auxiliar as autoridades nas investigações aumentando as chances de recuperação da carga extraviada.

Os métodos utilizados para fazer o rastreamento e o monitoramento são vários. Os principais são o uso do GPS, GPRS e Câmeras. Na Logos Inovação e Tecnologia se utilizam também o RFID, Comunicação via satélite e o próprio sistema da empresa chamada de LOGOSNET. Cada uma delas trabalha e contribui ao objetivo de atingir as necessidades de cada cliente. Melhorando a gestão administrativa e aprimorando e automatizando os processos de trabalho. Auxiliando também nas melhores tomadas de decisões, à medida com que os dados são convertidos em informações de fácil entendimento e compreensão.

Então, se ainda estiver com alguma dúvida, conheças mais sobre os serviços da Logos Inovação e Tecnologia e encontre a solução perfeita para o seu negócio.

 

O futuro dos veículos com a tecnologia C-V2X

O C-V2X é uma tecnologia avançada desenvolvida para comunicação sem fio, permitindo que os veículos, a infraestrutura, os pedestres e todos os elementos que compõem o que entendemos sobre o trânsito se interajam e troquem dados e informações em tempo real. Ou seja, com esse sistema os veículos como carro, motos, caminhões, dentre outros, junto aos ciclistas, pedestres, semáforos e sinais de trânsito podem finalmente compartilhar suas informações sobre seu estado de operação, localização e direção.

Além disso, o sistema C-V2X consegue operar sem uma rede de celular, ele pode emitir alertas em determinados momentos críticos do trânsito.

A tecnologia C-V2X também permite enviar aos veículos dados sobre alertas de situações inesperadas que são potencialmente arriscados e que podem acontecer. Sendo elas, por exemplo, obras na pista, acidentes na rua ou estradas, engarrafamentos ou veículos de emergência. Dessa forma o motorista tem mais e melhores opções para buscar rotas alternativas e reduzir o tempo de viagem.

Há também a comunicação integrada entre os veículos, que conseguem perceber por meio da luz de freio eletrônica de emergência, quando o veículo à frente irá frear bruscamente devido à obstrução do seu trajeto, evitando assim colisões. Incluindo também assistência nos cruzamentos com alertas sobre aproximação de veículos nos pontos cegos.

Vale lembrar que não só de carros se fazem as colisões dos veículos, por isso, o C-V2X tem também como detectar colisão com pedestres e ciclistas na pista.

As perspectivas com essa nova tecnologia é tornar mais segura e eficiente o tráfego e conduta de todos os elementos do trânsito, tornado-o mais fluído e automatizada. E muitas empresas mobilistas já estão de olho nessa novidade e suas vantagens.

Já aconteceu de serem feitas algumas demonstrações de como essa tecnologia poderia ser utilizada em situações reais. Como a ford com seu teste de sucesso nas ruas da China durante a Exposição Mundial de Internet das Coisas 2018, em Wuxi, usando a tecnologia celular C-V2X.

link para o vídeo: https://youtu.be/BACyz3x66VA

Os testes avançam e as implementações estão em crescimento. Logo os métodos e processos para as empresas terão que se reinventar devido a essas mudanças que vem para ficar. E para manter o seu negócio sempre próximo com o mundo conectado a Logos Inovação e tecnologia tem as melhores soluções e sistemas que se adequam para cada tipo de segmento. Navegue pelo site da Logos e conheça mais sobre essas tecnologias.

Setor aéreo rastreará bagagens com RFID

O conselho da IATA votou em sua assembleia geral para desenvolver um padrão de rastreamento de bagagens a ser lançado globalmente em 2020

O setor aéreo melhorou constantemente sua capacidade de lidar com bagagens de passageiros. Em 2016, 5,73 volumes por mil passageiros foram desviados, o que representou uma queda de 12% em relação ao ano anterior. Ao longo da última década, o setor registrou uma redução de 70% em extravios. Ainda assim, as companhias aéreas maltrataram mais de 21 milhões de malas em 2016, custando mais de US$ 2 bilhões em despesas.

As companhias aéreas sabem há mais de uma década que a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) pode ser uma solução econômica para o problema. Mas o custo e a grande escala do projeto – cobrindo aeroportos em todo o mundo – fizeram com que o setor atrasasse a implantação até agora.

A diretoria da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) votou em sua reunião geral, deste mês, pelo desenvolvimento de um padrão dentro para usar RFID e rastrear as malas. O órgão da indústria pretende começar a lançar a tecnologia globalmente em 2020.

Falando no evento, Alexandre De Juniac, diretor geral da IATA, disse que a diretoria “obriga a IATA a avançar rapidamente para atender às expectativas dos clientes quanto ao rastreamento em tempo real da bagagem. Temos um ano para desenvolver um padrão global de implantação”, que incluirá os padrões de RFID da IATA em todas as etiquetas de bagagem. Durante esse tempo, alinharemos nossos parceiros na cadeia de valor, especialmente nos aeroportos, para que possamos alcançar a visão de nossa indústria de fazer isso a partir de 2020. ”

Parte de mim quer gritar: “que bom, já estava na hora!” Outra parte está entusiasmada com o fato de que a indústria finalmente lançou o apoio para implantar RFID globalmente. É uma ótima notícia para os viajantes. Perder sua bagagem é uma dor de cabeça incrível. Aconteceu comigo apenas uma vez, mas tive que gastar algumas centenas de euros para comprar algumas roupas para fazer uma apresentação na França.

Os pais de uma amiga minha voaram recentemente para a Alemanha. A bagagem deles foi perdida e nunca recuperada. Arruinou suas férias. Mesmo quando as malas são encontradas, o estresse de não saber se chegam ao destino pode arruinar uma viagem. Um outro amigo meu perdeu as malas durante uma conexão com a Europa (os dois incidentes aconteceram nos últimos dois meses). Eles temiam que não chegassem a Madri a tempo de um cruzeiro que planejavam fazer. As malas chegaram, mas o estresse fez com que as férias começassem de maneira desagradável.

Delta Air Lines merece muito crédito por ser a primeira companhia aérea a mostrar que a RFID poderia ser uma solução eficaz para o problema. Se você tiver o aplicativo móvel Delta e verificar suas malas, receberá uma notificação quando as malas estiverem no avião, o que é maravilhoso – e a Delta pode rastrear sua bagagem rapidamente em qualquer lugar, caso qualquer mala seja colocada no lugar errado.

O uso de RFID em todas as bagagens não eliminará totalmente a bagagem perdida, mas proporcionará aos viajantes maior tranquilidade e permitirá que as companhias aéreas reduzam os US$ 2 bilhões que gastam rastreando malas extraviadas ou compensando os clientes pela perda de bagagem. Quando as companhias aéreas souberem como a RFID funciona bem em malas, sem dúvida ficarão ansiosas para usá-la para rastrear ativos, peças e outros itens.

fonte: brasil.rfidjournal | Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

Apple vai mostrar localização de quem usar iPhone em ligação para número de emergência nos EUA

Quando o iOS 12 chegar aos iPhones, quem usar um smartphone da Apple para ligar para o número de emergência dos Estados Unidos, o 911, enviará automaticamente sua localização para o atendente que pegar a chamada.

O compartilhamento da posição de quem acionar serviços de emergência é uma das novidades do novo sistema operacional para dispositivos móveis da Apple.

A intenção da Apple é tornar o atendimento mais ágil, já que quase 80% das chamadas para serviços de emergência são feitas por telefones celulares. Para agilizar o deslocamento de ambulâncias e bombeiros, a empresa vai integrar uma tecnologia já existente nos iPhones ao software dos serviços que atendem o 911.

Em 2015, a empresa criou uma forma de compilar dados de diversas fontes para apontar a localização mais provável de alguém que liga para o 911. O sistema usa dados do GPS, de pontos de conexão ao Wi-Fi e de torres de celular.

O que o iPhone fará é integrar essa possível localização com o software de atendimento dos serviços de 911.

A iniciativa da Apple adianta uma exigência que passará a valer para operadoras de telefonia a partir de 2021. A Comissão Federal das Comunicações dos EUA (FCC, na sigla em inglês) exige que a partir dessa data todas as empresas de telecomunicações informem a localização de quem ligar para o 911 com uma precisão de 50 metros e em 80% das tentativas.

Segundo a Apple, seu sistema é mais preciso que isso, a ponto de funcionar em “ambientes urbanos e densos”.

fonte: g1.globo